QUE A PAZ DO MESTRES JESUS POSSA ENVOLVER A TODOS,

A respeito do tema desta semana é muito oportuno, quando resolvi ter as minhas filhas
busquei esclarecimento em todos os sentidos. É dentro da Doutrina consegui perceber
a responsabilidade dos pais para com estes seres comprometidos com a sua melhoria
moral.
Ref .A s questões a companheira disse muito bem pois primeiro temos que curar as nossa
imperfeições.
Estar atentos ao exemplo que damos aos nossos filhos…”Sendo os primeiros médicos da alma dos filhos
(os pais), deveriam ser instruídos, não só de seus deveres mas dos meios de cumpri-los.” Allan Kardec
Esta orientação vem de todo conhecimento adquiridos, quando levamos os nossos filhos a Evangelização
Infantil,como mãe busco a Escola de Pais para estar recebendo as mesmas orientações. E dentro de casa e no
nosso dia-a-dia procuro colocar em prática os ensinamentos ali adquiridos.
Busco sempre conversar e ver o ponto de vista de cada uma e adequando de acordo com a necessidade.
Confesso que o meu orgulho é muito grande e na maioria das vezes tento impor as minhas vontades….
Estou trabalhando para vencer este velho hábito de achar que só nos adultos temos razão.
No livro( A Arte moral de Educar os filhos de Walter Barcelos)
Tem me auxiliado muito:
Façamos do lar um templo de Senhor
– A fé em Deus – a luz maior das almas;
– A Doutrina Espírita- fonte de orientação educacional permanente;
– O Evangelho de Jesus – regras de amor para todos os corações;
– A prece sincera – sintonia com os planos mais elevados da Espiritualidade;
– O culto do Evangelho – momento para aprendizagem iluminação,defesa espiritual e confraternização com os bons espíritos;
– O diálogo evangelizado – meio e esclarecimento pacífico,solucionando dúvidas e incertezas dos filhos;
– A caridade moral – prática da bondade recíproca
– O perdão libertador- segurança para o entendimento e a união de almas;
– A paciência vitoriosa – a energia íntima revelando o compreensão, calma e bom ânimo;
– Os trabalhos do lar- cooperação espontânea dos filhos com os gerentes do lar;
– Os bons exemplos dos pais – a força moral educativa para o coração e a mente das crianças.
Que os pais espiritistas não se iludam, quanto às suas responsabilidades educacionais, pois elas são intransferíveis.
Ninguém poderá fazer por vós a parte de educação moral que vos compete no aconchego afetivo junto aos amados filhos.
Fico aqui.
Que o amor do Mestre possa envolver a todos.
Jaqueline.
Em 11 de março de 2010 17:16, Paty Bolonha escreveu:

Estudos destinados à Família e à Educação no Lar

Tema: Valores
Período: 07/03/2010 a 13/03/2010

Olá amigos, tudo em paz?

Estes dias estava com este pensamento em minha cabeça e resolvi transformá-lo em um tema pra gente conversar um bocadinho. Sempre procuro ler algo a respeito para saber como fazer com nossa filhinha, principalmente na sociedade materialista e consumista em que vivemos hoje em dia. Afinal, a gente fica sempre se perguntando:

1. Quais valores queremos transmitir aos nossos filhos?

R. ” Não faça ao outro o que não deseja para sí “, esta é a melhor balança para reconhecer valores .

2. O que precisamos mudar em nós mesmos (hábitos, comportamentos etc) para nos adequar ao que gostaríamos de lhes transmitir?

R. Se não tivermos consciência de nossas falhas, provavelmente nossos filhos agirão tal e qual, ao menos que tenham outra fonte onde possam identificar nossos erros melhor do que nós mesmos e passarem a agir diferentemente. Não raro meus filhos me chamam a atenção por alguns erros que cometo e que não consigo identificar , achando inclusive que estou certa. Mas depois pensando melhor percebo que eles estão certos.

3. No dia-a-dia, como encaramos este “desafio”?

R. Com responsabilidade. Sabendo que tudo é causa e consequencia.

4. E a escola, transmite estes mesmos valores?

R. Nem sempre , ainda que exista uma proposta educacional moral, as escolas não podem ser totalmente responsabilizadas porque o dever de educar moralmente é da família . A escola deve atuar como um complemento na consciêntização moral , orientando para os principais valores , mas jamais deve ser responsabilizada. Na falta de bases educacionais familiares, a escola está ofertando a “teoria” dos valores.

5. Como explicar aos nossos filhos que eles têm hábitos / comportamentos / etc., diferentes dos amiguinhos, primos?

R. Pela conduta aplicada, quando se tem bases morais sólidas , a criança compreenderá com maior facilidade, discenindo o certo do errado.

Vamos conversar um pouquinho sobre o tema?

Paz e Luz

Paty Bolonha

Esse talvez tenha sido o tema mais difícil de ser tratado.
Esses dias andei conversando sobre isso com um amigo.
Os valores que são trabalhados no dia a dia das pessoas diferem em muito do que é tratado no espiritismo.
O LE nos induz a um código de ética muito diferente do que existe hoje.
Se pararmos para avaliar a história da humanidade, vemos que apesar de muito ruim os códigos de ética de hoje, vemos que eles são muito melhores do que antes. Antes íamos aos estádios para ver pessoas se degladiarem, hoje vamos ao estádio para ver espetéculos do esporte.

Internet e televisão são novos mecanismos que exercitam a mente.
O balanço do que é certo e o que é errado acabo vindo dos exemplos que damos em nosso dia a dia.
Se falamos ao nosso filho que internet não é bom, mas nós passamos o dia o tempo que temos em casa passamos nela, qual o valor que passamos a ele. Se falamos que TV é prejudicial, mas não perdemos uma cena da novela, assistimos a filmes violentos ou sensuais, se nossa programação televisiva nos leva ao nada, fatalmente ele nos copiará.

Mesmo nossa prática nos centros espíritas, deve ser avaliada.
Se vamos ao centro e ao chegarmos em casa sempre temos um comentário de maldade desse ou daquele amigo de jornada, a cópia é a mesma.

Sendo assim, e por isso que disse que esse é um tema difícil, o melhor a fazer é balizar o crescimento de nosso filho pelo exemplo. Dói em mim escrever isso, pois sei o quanto ainda falta a exemplificar.

A melhor prática, parece ser sem dúvida, aplicar uma reforma íntima em nós e fazer com que nossos exemplos mostrem a eles que nós estamos indo bem e valorizamos nossa reforma íntima.
Assim é que eu vejo.

Em 10 de março de 2010 15:12, fulvia escreveu:

Estudos destinados à Família e à Educação no Lar

Tema: Valores
Período: 07/03/2010 a 13/03/2010

Olá amigos, tudo em paz?

Estes dias estava com este pensamento em minha cabeça e resolvi transformá-lo em um tema pra gente conversar um bocadinho. Sempre procuro ler algo a respeito para saber como fazer com nossa filhinha, principalmente na sociedade materialista e consumista em que vivemos hoje em dia. Afinal, a gente fica sempre se perguntando:

1. Quais valores queremos transmitir aos nossos filhos?

2. O que precisamos mudar em nós mesmos (hábitos, comportamentos etc) para nos adequar ao que gostaríamos de lhes transmitir?

3. No dia-a-dia, como encaramos este “desafio”?

4. E a escola, transmite estes mesmos valores?

5. Como explicar aos nossos filhos que eles têm hábitos / comportamentos / etc., diferentes dos amiguinhos, primos?

Vamos conversar um pouquinho sobre o tema?

Aguardamos a participação de todos!
Abraços

Legal Ana.
Como amigo e irmão internauta, fiquei feliz por saber que vc faz o Evangelho em casa com sua familia e principalmente com seus filhinhos jovens.
Eu tb faço com minha esposa e usamos tb o ESE, onde estudamos com profundidade os ensinamentos do Divino Mestre. Na minha opinião é o processo mais produtivo e certo.
Recomendo esse processo para todas as mães espíritas. Encontrem inspiração, e carinhosamente consigam convencer vossos filhos a participar.
Paz, AMOR e LUZ.
Manuel de Macedo

Tema da Semana (07/03/2010): Valores

Tema: Valores
Período: 07/03/2010 a 13/03/2010

Olá amigos, tudo em paz?

Meu nome é Ana Maria, tenho filhos com 09 e 14 anos e sou evangelizadora da pré-juventude, aqui em Salvador/BA.

Segue minhas respostas.

1. Quais valores queremos transmitir aos nossos filhos?

– PROCURO ME INSPIRAR NO TEXTO – O HOMEM DE BEM, Q ESTÁ NO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO.

2. O que precisamos mudar em nós mesmos (hábitos, comportamentos etc) para nos adequar ao que gostaríamos de lhes transmitir?

– NO MEU CASO PRECISO OUVIR MAIS E FALAR MENOS.

3. No dia-a-dia, como encaramos este “desafio”?

– AH, DE UMA MANEIRA MUITO GOSTOSA, TRABALHOSA É CLARO, MAIS QUANDO VEMOS Q NOSSOS FILHOS INTRONIZARAM OU MESMO RELEMBRARAM BOAS ATITUDES, NOSSA FELICIDADE É INDIZÍVEL.

4. E a escola, transmite estes mesmos valores?

– INFELIZMENTE NÃO. POR DIVERSOS MOTIVOS.

5. Como explicar aos nossos filhos que eles têm hábitos / comportamentos / etc., diferentes dos amiguinhos, primos?

– PROCURO TRABALHAR ESSA PARTE DURANTE NOSSO EVANGELHO NO LAR… OU MESMO QUANDO ASSISTIMOS Á TV…MOSTRO PRA ELES O QUE ESTÁ ERRADO E COMO DEVE SER O COMPORTAMENTO DA CRIANÇA/JOVEM ESPÍRITA. SALIENTO Q SEMPRE ELOGIO QUANDO ELES FAZEM ALGO LIGADO À DOUTRINA, POR SI SÓ…EXEMPLO: MEU FILHO DE 14 ANOS PEDIU PRA PARTICIPAR DA CONJEB (ENCONTRO DAS JUVENTUDES ESPÍRITAS DA BAHIA) DURANTE O CARNAVAL…E OLHA Q AQUI NA BAHIA O APELO PARA O CARNAVAL É BEM FORTE… E EU LHE DISSE O QUANTO TINHA FICADO FELIZ POR ESTA INICIATIVA TER PARTIDO DELE, O QUANTO ELE TERIA DE BENEFICIO EM PARTICIPAR, ETC.

Abraço fraterno,
Ana Maria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: