Prezados amigos,
Sem querer polemizar mas apenas á titulo de aprendizado, se me permitem, gostaria de fazer também algumas perguntas, sobre este cap. 18, Efeitos intelectuais (III) :
A) No texto, objeto do nosso estudo, André Luiz afirma: “
“Vemos que a conjugação de ondas mentais surge, presente, em todos os fatos mediúnicos.”
“Atenta ao reflexo condicionado da prece, nas reuniões doutrinárias ou nas experiências psíquicas, a mente do médium passa a emitir as oscilações que lhe são próprias, às quais se entrosam aquelas da entidade comunicante, com vistas a certos fins”.
Compreendemos que á partir do momento, que uma entidade com vibrações superiores as nossas precisa se manifestar, a prece sem dúvida é um poderoso instrumento para que possamos aumentar as nossas vibrações e assim se “entrosar” com a entidade comunicante superior, dando inicio ao fenômeno. Entretanto, quando ocorre o contrário,ou seja, a manifestação de um “espírito sofredor”(= baixas vibrações), como entender o mecanismo mediúnico, sob o ponto de vista de sintonia, quando o médium aumenta suas vibrações através da prece para se “entrosar” com as baixas vibrações daquela entidade?
B) A que André Luiz se refere na frase: (…)”quase toda a exteriorização fisiológica no intercâmbio pertence ao médium”(…):
Se refere apenas a voz e “maneira de falar”, peculiar ao médium, ou se refere a uma alteração quase que total, do conteúdo da mensagem do espírito comunicante,pelo médium?
Muita paz a todos ,
Renato Freitas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: